sábado, 13 de setembro de 2014

Acima do nível

Do Iate Clube Tamandaré vejo a ponte internacional sobre o rio Uruguai ligando Brasil e Argentina


Cidade fronteira

Uruguaiana feliz tu nasceste a beira de um rio sorrindo ao luar

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Vivendo na fronteira


O rio Uruguai é mesmo internacional, deste lado é Brasil e do outro o território Argentino

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Floriano Florindo Flores Floresceu


O título resume o texto, o texto era sobre o título. A foto fala dos dois...

terça-feira, 4 de junho de 2013

Amanhecer


Começa ficar fresquinho nos campos da fronteira-oeste do Rio Grande do Sul 

domingo, 21 de abril de 2013

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

UFSM


Local encantado e refúgio esportivo, localizado em Santa Maria - RS

Barragem Sanchuri


Serve de balneario e fonte de irrigação para as lavouras de arroz

Umbu


Velha árvore do pampa serviu de esconderijo durante as revoluções

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

terça-feira, 20 de novembro de 2012

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Naves espaciais


 Universos

Alheio às conquistas espaciais,
longe dos homens que engenham guerras,
sabe apenas das coisas que o rodeiam
nesse seu mundo,
atrás dos aramados.


Conhece a oração da ramaria
que o sarandi sussura, ajoelhado,
quando por ele passa a ventania;
conhece a paz que nasce
em cada chuva
e canta em cada flor;
sabe do sol que volta a cada dia,
como a esperança que, ontem, perdeu;
sabe da luz igual das três-marias,
da ternura dos bichos pelas crias,
do carinho da terra onde nasceu...


Sol de seu rancho...


Lua de seus sonhos...


No universo sem fim dos verdes campos,
a órbita final dos aramados.


A ti que, em vez do ímpeto selvagem
do potro que se atira contra os ventos
numa ânsia animal de liberdade,
conheces o furor da espaçonave
a derrubar barreiras e mistérios,
em busca da razão e da verdade;
a ti, que és seu irmão e és astronauta,
peço que não esqueças que ele existe.
Dá-lhe um pouco do muito que alcançares
dos progressos dos homens deste tempo,
das conquistas de mundos colossais.


Talvez penses que em face do universo
um rancho e o pampa nada representam;
a paz das chuvas... a razão das flores...
a ternura dos bichos... os seus sonhos...
e esse amor à terra onde nasceu.


Mas se um dia te cansares
de em naves espaciais cruzar o cosmo,
nessa busca febril do ignoto,
nessa ânsia de luz do ser humano
mesmo assim não esqueças que ele existe
e que em seu mundo ainda, como antes,
há de cantar a paz
na flor dos campos,
há de florir o amor
em cada chuva,
no brilho sempre igual das três-marias,
na ternura dos bichos pelas crias,
no carinho da terra onde nasceu;
há de rezar a Deus
a voz dos ventos
e há de voltar
a cada novo dia
toda a esperança que, ontem, morreu!


Colmar Duarte - Poeta uruguaianense
Sesmaria dos Ventos -1979

sábado, 3 de novembro de 2012

Hora de fechar a janela


CONQUISTA

Estive por acaso na sala seleta
onde a beldade planificava a defesa
dos animais em extermínio
e quando estranhou minha presença
perguntou quem eu era e sabendo
me obrigou a ler um poema intrincado
de eminente autor francês que exigia
esmerado sotaque

Mas como tive ginásio e me concentro
no desafio como um cachorro brabo
li devagar mergulhando em cada acento
e não sei se por compaixão ou desprezo
ela me aceitou na roda me dando encargos
Fui nomeado interventor de um sítio imenso
dos javalis de Madagascar, se não me falha
a história bizarra daquela tarde

Como não havia outros poetas
ela se aproximou da lábia
que imaginava em mim devido ao afinco
de me sair bem na tarefa humilhante
e acabamos sós atrás de cortinas
numa varanda diante da extrema luz
da cidade que conhecia pouco demais
onde estava na missão de não ser nada

Saímos para uma das avenidas famosas
e para os becos e bares manjados
exaustos do mito que sobre o teto e o piso
Mas o encanto da mulher ignorava o ambiente
ela estava grudado em algo perto da palavra
um verso que eu disse quase sem querer
e isso nos jogou na vertigem de hotel barato
e só conto isso porque amanheceu de fato

Acordamos num quadro impressionista
Monet, Manet, Renoir, não importa
ela tinha o rosto imóvel para mim, de joelhos
dobrados que desciam o vestido até a cintura
Não respirava mais, a defensora da natrureza
era um suspiro só depois da noite de esplendor
Éramos parte dos alaridos que nos cercavam
Foi assim que conquistei Paris, a cidade do amor
 
Nei Duclós - Poeta uruguaianense

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Divisa


Bem no meio da ponte internacional, onde o rio Uruguai é o mesmo, compartilhado pelos dois países com o mesmo senso de propriedade, mas nem sempre com o mesmo respeito e obrigações que o manancial carece...

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Uruguaiana


Fronteira Brasil e Argentina, cidades gêmeas unidas pelo rio Uruguai

terça-feira, 9 de outubro de 2012

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Multiplicando II


SEPÉ

É longe que se escuta o tempo
No morro agita-se um lenço
O sino que alarma o reino
O cheiro que anuncia o sangue


Tiaraju no campo, corpo que tange
o gado veemente
O incêndio contra a paz sem honra
A solidão na história que não conta

Em cada músculo, o começo do Rio Grande
e seu próprio fim, trágica semente
Segredo que o minuano sopra
na grama transformada em soja

Hoje, palavra de sempre

Nei Duclós
(Do livro No Mar, Veremos)

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Multiplicando


Campos recheados de carne na fronteira

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

A PRAÇA


A praça ficava depois do cinema
adolescência com Bardot em cena
árvores de namoro antes da missa
memória da idade sem surpresas

quando o mundo era estável e sereno
e não ultrapassava Uruguaiana
lá vivemos, sem saber, a utopia
livros não iam além de Castro Alves

Em frente ao amor existia a igreja
onde casavam princesas e parentes
íamos só ver as moças, como sempre

Esse é o espaço da profunda fronteira
a que some de vista mas fica o remanso
por estar dentro de nós, graça suprema

Nei Duclós - Poeta uruguaianense

terça-feira, 21 de agosto de 2012

domingo, 29 de julho de 2012

Silueta de fronteira


No lado brasileiro do rio Uruguai a vida transcorre normalmente entre um pescado e um chimarão...

domingo, 15 de julho de 2012

Paisagem rural


"Quando os campos deste sul eram mais verdes, índios pampeanos habitavam esse lugar"

sábado, 7 de julho de 2012

Fronteira



Sobre o rio Quarai, a desativada ponte da ferrovia faz dupla com a contemporânea ponte internacional que liga Barra do Quarai-BR e Bella Union-UY

domingo, 24 de junho de 2012

Céu de inverno



Agasalha o olhar e nos cobre de imagem...

terça-feira, 19 de junho de 2012

Girasol


Entre cores e luzes de um lindo dia...

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Cenário


Região central do estado do Rio Grande do Sul

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Vestida de sonhos


Veludo

Roupa é o corpo imaginado
desenho do sonho sem ruído
a não ser um roçar pleno de fios
e um copo oculto de vinho nobre

Vestes cachecol e te transformas
o inverno se cobre com tua graça
esqueces a dor do frio e a chuva
és aquecida com a lã do charme

E teus vestidos! A blusa de marfim
As meias decidem a sorte dos sapatos
fazem dos joelhos maravilhoso alarde

Há os ombros que tão bem embrulhas
num toque de veludo que acaba comigo
serviço completo quando tiras tudo
 
Nei Duclós - Poeta uruguaianense

segunda-feira, 28 de maio de 2012

"Repartindo a mesma herança"





Caminhos onde Brasil faz fronteira com Uruguai...

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Escondedouro


Vestido de nuvens te vejo sumir encantadoramente...

quarta-feira, 23 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Tempestade


De Uruguaiana-Brasil, observo o forte vento vindo do lado argentino, soprar as águas do rio Uruguai...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Flor








A parte mais aprecida de um todo, a mais destacada ou importante...